As obras aqui publicadas podem não ser inteiramente ficcionais, podendo corresponder ao comportamento ou opinião pessoal de seus autores. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais será mera coincidência?

domingo, 16 de janeiro de 2011

Valores de "Passione" da Rede Globo

Olá a todos



Há muitos anos sem acompanhar novelas, ontem casualmente assistir ao final da novela Passione da Rede Globo.

A emissora traz uma série de questões e problemas sociais como pedofilia, drogas, corrupção, traição, mentiras, etc., o que acaba funcionando como um serviço de utilidade pública, ao fazerem as pessoas se indignarem com os acontecimentos.

O que talvez não fique evidente para a massa entorpecida pela trama é a sutileza com que esses assuntos se tornam normais, criando padrões de comportamento (por imitação), levando as pessoas a agirem de forma que a exceção se torne a regra geral. Isso se dá pela inversão dos valores morais, éticos, também distorcendo os valores da família, do casamento, etc. Um exemplo do desprezo por estes valores fica patente na normalidade da bigamia como solução alternativa nestes tempos de infantilização das relações, quando o adulto (criança) se sente impossibilitado de fazer escolhas, e como resposta, não consegue abrir mão de uma parte.

É obvio que a superexposição de temas acaba gerando uma falta de sensibilidade (tec. Desensibilização) em que o vibrante mundo da fantasia suplanta o mundo real, uma vez que as novelas expõem detalhes que, mesmo improváveis, integram a agenda de debates semanais. O que parece é que a inversão não é só dos valores da moral e da ética, mais sim do real e da fantasia. No mundo real, parece que acreditamos em Papai Noel, em políticos corruptos, onde bandidos condenados merecem perdão já que os Direitos Humanos não são para os humanos direitos. Pouco a pouco uma nova camisa de força se implanta na sociedade enquadrando os temas do Politicamente Correto.

Uma das facetas da liberdade é poder dizer não a estas coisas. Desligue a TV

---
José Lamartine Neto

Nenhum comentário: