As obras aqui publicadas podem não ser inteiramente ficcionais, podendo corresponder ao comportamento ou opinião pessoal de seus autores. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais será mera coincidência?

sábado, 13 de outubro de 2012

A esquerda nas escolas

Caso não saibam, existe um plano estratégico de cooptação ao pensamento esquerdista (inclui o PT é claro) da maioria dos estudantes através de ações em Grêmios Estudantis e Diretórios Acadêmicos.

Por quê? Bom, lá vai. Acredito que é por estarem na fase da vida mais propícia para manipulação por reunirem as condições mais adequadas geradas por uma condição física: a imaturidade neurobiológica da adolescência associado a profusão caótica de hormônios. Em outras palavras, falta cérebro e sobram hormônios.

Explico: Como a garotada está em um período neurobiológico de imaturidade do córtex pré-frontal, a mais recente parte do cérebro a se acrescentar no processo evolutivo, e que nos caracteriza como homo sapiens . E a parte responsável por funções fundamentais da civilização como "o pensamento, o planejamento de ações e a consequente inibição ou expressão destas ações, ou seja, a execução, decisão, noções de tempo e espaço, a personalidade de cada um, a própria consciência" ainda não alcançou a plenitude de seu desenvolvimento (por volta dos 20 anos).

Além disso, existe uma grande revolução hormonal devido a natural fase da adolescência. É a fase  em que tudo está ruim e tudo é motivo de revolta, com uma forte tendência a agir em bando. Como disse Mauricio Knobel, esta época da vida pode ser definida como "Síndrome da Adolescência Normal" com as seguintes características:

1. Busca de si mesmo e da identidade;
2. A tendência grupal;
3. Necessidade de intelectualizar e fantasiar;
4. Crises religiosas;
5. A vivência do tempo;
6. A sexualidade;
7. Atitude social reivindicatória;
8. Condutas contraditórias;
9. Separação progressiva dos pais;
10. Constantes flutuações do humor.

Mesmo antes destas coisas serem estudadas e estarem no papel já se conhecia este padrão de comportamento a milênios. O que se faz é dar uma causa, apresentada em um boa embalagem mesmo que o conteúdo seja fedido.

Porque os pais ou tios levam seus pequenos torcedores desde pequenos para os estádios de futebol, e porque os doutrinadores entram nas escolas e se infiltram no meio dos estudantes? Simples: criar seguidores.

E aí não importa que o time seja de primeira divisão e que a ideologia seja a que mais assassinou gente no Sec. XX. O que importa, como sempre se soube,  é que durante as manifestações coletivas de apoio, as emoções são tão fortes que as decisões tomadas ali tomadas movidas pelas paixão das arquibancadas ou das assembleias são duradouras, mesmo, como já disse, que o time ou a ideologia sejam de segunda. Mas será que esta escolha foi sua mesmo????

Estarão todos motivados a conseguir explicações para justificar sua escolha, sempre baseando-se, não tanto nos feitos do passado, mas principalmente na conquista de um futuro glorioso em que todos são co-partícipes. E assim se cria a militância, ou seja, como disse Olavo de Carvalho, "...é estar inserido numa organização política, submetido a uma linha de comando e envolvido por uma atmosfera de camaradagem e cumplicidade com os membros da mesma organização."

Uma boa definição foi dada pelo escritor inglês H. G. Wells, autor de A Guerra dos Mundos, ao descrever o alemão Karl Marx e seus seguidores “Uma mente de terceira, postulador de uma tese de segunda, propagandeada por fanáticos de primeira.”

Outra coisa: A direita (ou conservadores) foram eliminados neste país, restando apenas vestígios. Hoje a briga é se o político é de esquerda, ou da esquerda da esquerda, ou ainda da direita da esquerda. Basta estudar um pouquinho e verificar as origens ideológicas de seus atos, não de seus discursos, já que mentem como ninguém.



José Lamartine Neto
-

Um comentário:

. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.