As obras aqui publicadas podem não ser inteiramente ficcionais, podendo corresponder ao comportamento ou opinião pessoal de seus autores. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais será mera coincidência?

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Entrevista para o Lente Azul em dezembro de 2012

O texto “IFBA em espera” que duas alunas, das turmas 1842 e 10811 respectivamente,  construíram foi publicado no Jornal “LENTE AZUL” Ano VIII, nº 02 de Dezembro/2012.

Parte do texto consta informações colhidas de nossa entrevista dada na tarde do dia 29 de novembro.

O texto, ainda sem finalizar, nos foi enviada por e-mail para tecer alguns comentários, e assim foi feito visando esclarecer o que foi dito por mim, evitando entendimentos equivocados.

Infelizmente o que saiu no citado jornal foi a primeira versão que contem algumas coisas que precisam de esclarecimento, daí a razão desta publicação.

......................................................................

IFBA em espera.

                      






Laboratório de Mecânica
Com prédios datados de mais de 60 anos, o Instituto Federal da Bahia – Campus Salvador é formado por um conjunto arquitetônico antigo que, infelizmente, não consegue se adequar as necessidades da Comunidade que se apresenta cada vez mais insatisfeita com a estrutura – ou a falta dela – no colégio. Concomitante a isso, as obras iniciadas no instituto não têm tido prazo de término, a exemplo das salas de desenho arquitetônico do curso de Edificações, obra essa que já dura quase um ano, mas que o prazo de entrega era de apenas seis meses.

Segundo o Professor José Lamartine, Coordenador de Manutenção do Instituto, metade da demora para a realização das  obras deve-se ao fato que os prédios que abrigam os alunos do IFBa foram projetados para outra realidade. Não se pensava no aumento no contingente de alunos, na acessibilidade, no data-show e no ar-condicionado. Logo, o que se tem é uma dificuldade imensa para o início de todo e qualquer projeto de adaptação. Mas, e quando as obras são iniciadas por que se tornam tão difíceis concluí-las? Culpa-se entãoas licitações, pregões, ordens de serviço, empresas incapacitadas e uma burocracia que é, segundo o Professor, um mecanismo de controle, “um mal necessário” como o mesmo prefere dizer e assim cria-se um ciclo vicioso onde as obras começam e não terminam, onde os materiais são comprados e não chegam, onde subestações elétricas são os maiores obstáculos para a tão sonhada ampliação da Biblioteca.

Acontece que, o sistema licitatório se dá também com prioridades. Quais são então as prioridades da Instituição? Ar- condicionado, cafezinho e lanches no “céu” ou as necessidades básicas dos alunos? Em entrevista a um aluno do Instituto, José William, do 3° ano de Automação, o Lente quis saber se ele estivesse em uma fila de espera no IFBa qual serviço ele estaria esperando e automaticamente o estudante respondeu:”Ampliação do Refeitório Estudantil”. Atenuando assim a existência de mais um problema na infraestrutura do colégio, o refeitório. Mas, além disso, ainda se tem laboratórios em reforma, como o de Mecânica, inviabilizando o processo de aprendizagem dos alunos e a própria didática de alguns professores, como a aluna Marcelle Senna, do 1º ano de Mecânica apontou em resposta ao Lente. 

Sabe-se que toda obra que se inicia no Instituto demora para ser concluída, sabe-se que todo material comprado demora para ser instalado, mas não caberia então a Direção descobrir um meio para informar aos alunos sobre como são feitos esses processos? O por que de tanta demora? Enquanto essas medidas não são tomadas, cabe aos alunos esperar, afinal aqui tudo está em espera.

T.P. e A.M.

......................................................................
Pronto, voltei...

Após a leitura do mesmo, confrontado com o conteúdo da gravação (disponível abaixo) trocamos os seguintes emails no domingo, dia 16 de dembro de 2012, com uma das autoras:

“Caras alunas
 Em primeiro lugar quero agradecer por ter atendido meu pedido, encaminhando-me antecipadamente seu artigo. Mostra uma preocupação em ser justa ao mesmo tempo que demonstra uma grande qualidade que é a humildade. Meus parabéns.
Então vamos ao que interessa... o conteúdo do texto tem algumas coisas que me trouxeram preocupação e, para isso estarei fazendo algumas comentários.
No que se refere as “salas de desenho arquitetônico do curso de Edificações” foi recentemente ocupado com pranchetas para as respectivas aulas.
Quando vocês dizem que é tão difícil concluir estas obras e nós culpamos as “licitações, pregões, ordens de serviço, empresas incapacitadas”, o contexto destas informações não está adequado. Além do mais existe uma categoria que não faz parte do conjunto inicial que é “empresas incapacitadas”. No contexto que fazei estas são barradas da nossa instituição através de mecanismos oficiais, desenvolvidos pelo governo federal. Neste sentido sim, a burocracia é “um mal necessário” que visa proteger a instituição pública e o erário.
Outro possível equívoco é a menção de que “subestações elétricas são os maiores obstáculos para a tão sonhada ampliação da Biblioteca”. Como pode ser esta afirmação uma verdade se considerarmos que o consumo de energia atual do IFBA-Salvador está em torno de 60% da capacidade instalada nas mesmas?
No tema “prioridades” o que vocês querem dizer com “lanches no “céu” ou as necessidades básicas dos alunos”? Que efeito querem provocar nos leitores?
Peço que fiquem muito atentas com a fidelidade do que conversamos uma vez que a integridade e a honestidade intelectual de um autor é seu maior patrimônio.
Mais uma vez obrigado por ter compartilhado.
---
José Lamartine Neto”
......................................................................

A resposta dada, foi:
“Professor, li os comentários e tentarei fazer algumas modificações para tentar "ser fiel ao que conversamos". Mas, o senhor pode me tirar uma dúvida?
Se o senhor mesmo me disse que algumas empresas selecionadas não são a que o Instituto deseja, como seriam essas estão totalmente qualificadas? Se não entendi a mensagem que o senhor quis passar, peço desculpas antecipadamente.
A. M.”
......................................................................

Continuamos os esclarecimentos...

Querida A.,
 A seleção de empresas ocorre através de mecanismos muito rigorosos definidos pela Lei 8.666, conhecida como lei das licitações.
A Lei 8.666 abre a possibilidade de privilegiar pequenas empresas (PE) e medias empresas (ME) quando concorrem com as maiores, chamadas de Sociedades Anônimas (SA) ou Limitadas (Ltda.) e, como resultado, em situações de proximidade de preços a vantagem fica com as PE e ME.
As pequenas e médias empresas, segundo o governo federal, devem ser apoiadas por oferecer empregos a muitos brasileiros e se o governo não as defender, o "mercado" não o fará. Só que as grandes empresas têm saúde financeira para ir até o fim e cumprir o cronograma das obras, oferecendo os serviços por um preço maior já que têm uma maior infraestrutura, mais empregados, máquinas, instalações, escritórios, etc. Aí entram em desvantagem pela seleção de menor preço exigido pela lei.
Como somos obrigados a seguir a lei, ficamos impedidos de fazer de forma diferente.
 É isso. Qualquer coisa, pergunte.
 Abraço
 ---
José Lamartine Neto
......................................................................

Por fim a aluna A. conclui com...

“Professor, 
Vou encaminhar esse e-mail para T. e ver o que ela acha já que escrevemos juntas. Bom, acho que os pontos que o senhor apontou no texto devem ser mesmo revistos, mas dependendo do que vamos mudar teremos que mudar toda a estrutura do texto e infelizmente não temos tempo pra isso, pretendemos que o jornal saia antes do recesso das festas de final de ano, mas farei o possível com T. para mudarmos o que for preciso. Obrigada pela paciência.”
......................................................................

Aí finalizou nossos e-mails.

A seguir tem a lista com alguns pontos da gravação (abaixo) que gostaria de destacar:

01'30" - histórico dos prédios
03'00" - acessibilidade, licitação,
05'11" - Histórico das instalações
07'14" - Instalações elétricas, subestação,
08'10" - Biblioteca
11'28" - bebedouros
12'30" - Quebra de bebedouros
12'55" - Porque é difícil consertar as coisas
13'30" - Instalação de novos bebedouros
14'21" - Compras para governo federal
15'24" - Vestiário feminino
16'22" - Quebra de matérias novos
17'55" - Educação
19'08" - O trabalho e a equipe de manutenção
20'00" - Gestão de manutenção
21'18" - Codificação dos espaços
22'13" - Parceria interna
23'25" - Laboratório vivo
24'35" - Por que as coisas demoram...
26'55" - Por que a burocracia...





---

Nenhum comentário: