As obras aqui publicadas podem não ser inteiramente ficcionais, podendo corresponder ao comportamento ou opinião pessoal de seus autores. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais será mera coincidência?

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Só me resta uma alternativa

Meus caros e minhas caras, boa noite

Ultimamente, pouco tenho observado nossa intranet. Fico feliz com umas coisas, entristecido com outras, mas permanentemente fico me perguntando até onde vai nossa influencia como professor (ou servidor público) sobre este sujeito em formação que é o aluno.

Fazer escolhas é algo sublime,é um atributo individual e intransferível que se serve da memória, do discernimento, da capacidade de julgamento, dentre vários outros atributos cognitivos e emocionais.

O quanto estamos “ajudando” nossos alunos a fazerem suas escolhas? Ou serão as nossas escolhas que eles fazem? E me pergunto se isso é certo, se é ético.

É obvio que questiono se isso é democracia, isso que induz, seduz, manipula, mente, engana, omite, distorce verdades (em que cada um tem a sua), neste cenário de campanha presidencial por todos os candidatos? E no nosso cotidiano?

Dentro desta linha gramscista de infiltração (comunista) nas instituições brasileiras, provavelmente iniciada com a formação dos alunos nas Universidades por volta da década de 1960, ampliou-se nas décadas seguintes e hoje, estes ex-alunos ocupam diversas funções em todos os setores da sociedade, são os “intelectuais orgânicos” de Antonio Gramsci. Como resultado, o conseqüente aparelhamento ideológico da máquina pública, assim como dos movimentos sociais, empresas de capital misto, sindicatos, etc.


O que vemos ocorrer hoje em nossa instituição, de forma escancarada e sem a menor vergonha, é fruto também deste processo. Veja que tem alguns de nossos colegas que não tem nem mais o pudor de resguardarem suas funções institucionais. Usam-nas nos comunicados pessoais, confundindo a vida pública com a vida privada, em outras palavras, confunde-se o servidor publico – representante do estado – com o cidadão – pessoa física.

Só me resta uma alternativa: me render aos fatos e somar coro com a massa de pseudos “qualquer coisa”. Mais antes gostaria de deixar como contribuição algumas informações em forma de vídeos para apreciação da turma (ou turba?).

O primeiro é uma entrevista em que Ciro Gomes elogia Lula, Dilma, Temer, o PT e o PMDB. Não percam! Era na época em que ele coordenava a campanha da Sra. Dilma!





O próximo, ou melhor, os próximos são muito esclarecedores e atualíssimos com o tema Aborto: Sim, não ou muito pelo contrário? Na verdade não é nem tanto pelo aborto em si, mas, pela firmeza, convicção, determinação, equilíbrio da estrela deste vídeo. Vale a pena ver os dois.



Na seqüência uma singela história que o PT lamentavelmente não mostra na TV. É interessante ler os comentários dos internautas solidarizados com os protagonistas. É muito lindo.




Por fim temos um vídeo de um deputado federal (meio doido, só pode) que fala tantas mentiras que é difícil de acreditar. Fiquei impressionado com a capacidade e eloqüência do mesmo. Tem a participação especial de Franklin Martins, Hugo Chaves, e outras estrelas do momento. Também uma boa pedida. Mas no final acho que ninguém acredita não é mesmo?


Mas no final acho que ninguém acredita, não é mesmo?


Abraços a todos (e todas)


Lamartine


Nenhum comentário: