As obras aqui publicadas podem não ser inteiramente ficcionais, podendo corresponder ao comportamento ou opinião pessoal de seus autores. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais será mera coincidência?

sábado, 23 de junho de 2012

A História Sangrenta do Comunismo


 
Desde Marx, Engels e Lenine até aos nossos dias, o Comunismo é responsável pela morte de de mais de 130 Milhões de pessoas. Por guerras provocadas, fomes intencionais, gulags, assassínios selectivos e chacinas puras e simples.

Este é um vídeo para ver pormenores de tudo isso. E de como todos os crimes foram intencionais e, na verdade, são uma consequência necessária da ideologia baseada no “dualismo materialista”.

Foca muito em Darwin, que mal interpretado (e sobretudo, sobre-interpretado) pode levar a conclusões perigosas. Eu creio que quem aceite o Darwinismo não tem necessariamente de aceitar que os homens são animais. E também não tem que aceitar que o conflito subjacente ao ser humano tem de ser sangrento e destruidor. A competitividade pode ser canalizada para aumentar a produção e o bem-estar da população.

E já agora, refere também o “Realismo Socialista” Estalinista e o ataque à cultura pela máquina “materialista” que vê o ser humano como simples matéria, que deve ser homogeneizada para bem do colectivo.

Para que não se Esqueça.


Mao a estudar Estaline
Estaline nas suas próprias palavras:
- “Death is the solution to all problems. No man – no problem.”
“A Morte é a solução para todos os problemas. Não há homem, não há problema.”

- “Gratitude is a sickness suffered by dogs.”
“Gratidão é uma doença sofrida por cães.”

- “One death is a tragedy; one million is a statistic”
“Uma morte é uma tragédia; um milhão é uma estatística.”

- “The people who cast the votes don’t decide an election, the people who count the votes do.”
“As pessoas que votam não decidem uma eleição, as pessoas que contam os votos sim.”

do blog de Ricardo Campelo de Magalhães - Economista Liberal na tradição de Ludwig von Mises

em http://campelodemagalhaes.wordpress.com/2012/01/08/a-historia-sangrenta-do-comunismo/
-

Nenhum comentário: