As obras aqui publicadas podem não ser inteiramente ficcionais, podendo corresponder ao comportamento ou opinião pessoal de seus autores. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais será mera coincidência?

quarta-feira, 17 de abril de 2013

A nossa posição sobre os atentados de boston e da Venezuela

AO TEXTO POSTADO COM A INTRODUÇÃO A SEGUIR...

A nossa posição sobre os atentados.
Por Leão Trostky
PS - Esperamos que o método terrorista não vingue, inclusive na Venezuela,
pós eleição.
http://www.marxists.org/portugues/trotsky/1911/11/terrorismo.htm

RETRUQUEI

"Um dos mortos na ação é um menino de oito anos e a outra uma mulher de 29
anos. A terceira é uma estudante chinesa da Universidade de Boston, que
não teve a identidade divulgada.
Entre os feridos, 17 permanecem em estado grave. Dois deles são dois
irmãos de 31 e 33 anos que assistiam à corrida e que sofreram amputações.
Há também uma brasileira, que, de acordo com o chanceler Antonio Patriota,
sofreu ferimentos leves." (Folha de São Paulo)
---------------------------------------------------------------------------
Cada vez mais estamos transformando o mundo em um local em que toda
insanidade será bem-vinda, se erguerão estátuas aos assassinos, se
concederão aposentadorias polpudas aos que contarem a maiores mentiras.
premiada. Toda verdade será sufocada.
Uma total inversão retórica nos valores e na ética humana.
É por estas e outras que Henry Hazlitt - filósofo, economista e jornalista
- escreveu "Entenda o marxismo em um minuto" (a seguir), publicado no
sitio do Instituto Mises Brasil em 16 de setembro de 2012.
---------------------------------------------
Prof. José Lamartine de Andrade Lima Neto
---------------------------------------------
"Liberdade de expressão não existe se não tolerar os discursos que
odiamos" - Henry J. Hyde
"Acuse-os do que você faz; xingue-os do que você é". - Lênin.

Todo o evangelho de Karl Marx pode ser resumido em duas frases: Odeie o
indivíduo mais bem-sucedido do que você. Odeie qualquer pessoa que esteja
em melhor situação do que a sua. Jamais, sob qualquer circunstância,
admita que o sucesso de alguém pode ser decorrente de seu esforço próprio,
de sua capacidade, de seu preparo, de sua superioridade em determinada
atividade. Jamais aceite que o sucesso de alguém pode advir de sua
contribuição produtiva para algum setor da economia, contribuição essa que
foi apreciada por pessoas que voluntariamente adquiriram seus serviços.
Jamais atribua o sucesso de alguém às suas virtudes, mas sim à sua
capacidade de explorar, trapacear, ludibriar e espoliar.
 Jamais, sob qualquer circunstância, admita que você pode não ter se
tornado aquilo com que sempre sonhou por causa de alguma fraqueza ou
incapacidade sua. Jamais admita que o fracasso de alguém pode ser devido
aos defeitos dessa própria pessoa — preguiça, incompetência, imprudência,
incapacidade ou ignorância.
 Acima de tudo, jamais acredite na honestidade, objetividade ou
imparcialidade de alguém que discorde de você. Qualquer um que discorde
de você certamente é um alienado a serviço da burguesia e do "capital".
 Este ódio básico é o núcleo do marxismo. É a sua força-motriz. É o que
impele seus seguidores. Se você jogar fora o materialismo dialético, o
arcabouço hegeliano, os jargões técnicos, a análise 'científica' e todas
as inúmeras palavras presunçosas, você ainda assim ficará com o núcleo do
marxismo: o ódio e a inveja doentia do sucesso, que são a razão de ser de
toda esta ideologia.


PARECE QUE OUVE ENTENDIMENTO DIFERENTE COMO FRISA MEU COLEGA


Professor Lamartine, você leu o texto que eu enviei?
Pois parece que não. Caso tivesse lido teria visto que o texto enviado
condena o terrorismo. Por tanto misturar "insanidade" com o "marxismo em
um minuto" e resumir Marx ao ódio à outrem, não me parece adequado.


POR FIM RESPONDI...


Professor, com todo respeito ao seu entendimento, mas me permita uma leitura diferente. Se considerarmos que o terrorismo tem um quê de primitivismo (deve existir malucos que podem achar uma coisa moderna e uma evolução, ou até uma justificativa), que desencadeia nas pessoas envolvidas uma série de emoções de origem pré-históricas como o binômio raiva-medo, então é de se supor que nada mais natural do que gerar comportamentos de luta-fuga.
Pois bem, toda ideologia vive manipulando informações, que por sua vez geram emoções que resultam em comportamentos. Emoções como raiva, ressentimento, vingança, indignação, etc., assim como outras emoções que se enquadram nos outros três quadrantes básicos, assumem padrões de comportamento distintos, porém conhecidos, que  mobilizam as pessoas comportamentos típico conhecido como efeito manada, um fenômeno muito curioso, e útil aos revolucionários.
O fato de também desejar ver o respeito à vida, a liberdade, à propriedade, à diminuição da pobreza, o aumento das oportunidades, mais respeito aos direitos de expressão de opinião, dentre muitos, não me dá o direito de seguir este caminho para um mundo melhor. Aliás, eu não acredito que um grupo, qualquer grupo, possa impor um “mundo melhor” aos demais. Então, o que dizer desta expressão do Sr. Trotsky?

"Nos opomos aos atentados terroristas porque a vingança individual não nos satisfaz. A conta que nos deve pagar o sistema capitalista é demasiado elevada para ser apresentada a um funcionário chamado ministro."

Na sequencia o autor ensina como se prepara a revolução, transformando a leitura de mundo em uma visão de vitimização:

"Aprender a considerar os crimes contra a humanidade, todas as humilhações a que se vêem submetidos o corpo e o espírito humanos como excrescências e expressões do sistema social imperante..." (Trotsky)

Para desencadear todo o sentimento de rancor, inveja e ódio na consecução do objetivo:

"... para empenhar todas nossas energias em uma luta coletiva contra este sistema" (Trotsky)

Então professor, acredita realmente que assim é possível melhorar o mundo dando crédito a Trotsky?
Este manipulador das primitivas emoções humanas prega que para vencer esta luta contra o capitalismo é preciso estar bem nutrido, mas de desejo de vingança.

"... essa é a causa na qual o ardente desejo de vingança pode encontrar sua maior satisfação moral” (Trotsky).

"Não extinguir o insatisfeito desejo proletário de vingança, mas, pelo contrário, avivá-lo uma e outra vez, aprofundá-lo, dirigi-lo contra a verdadeira causa da injustiça e a baixeza humanas: essa é a tarefa da social-democracia." (Trotsky).

Por fim, quando pessoas manipuladas são transformadas em militantes, aí o bicho pega. Quem se atrever a sozinho, discordar deles ou de suas posições ideológicas, estará frito. As porradas que irá levar, sempre públicas, terão um efeito pedagógico nos demais a ponto de inibir qualquer possível levante, inibir qualquer traço de coragem. Se acovardam a ter de enfrentar a fúria da massa totalmente manipulada, ou àqueles que se colocam como integrantes da “tropa de choque”. Diante da massa ignara que vem para destruir qualquer tipo de oposição a maioria se cala com medo, ou adere para não ser a próxima vítima. Esta é força da democracia ignorante, e nada mais arrogante do que a ignorância.
É evidente que a massa manipulada não entende a psicologia por traz disso e ‘vai na onda’... como “gado” se achando águia.

Att

Nenhum comentário: