As obras aqui publicadas podem não ser inteiramente ficcionais, podendo corresponder ao comportamento ou opinião pessoal de seus autores. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais será mera coincidência?

terça-feira, 23 de julho de 2013

Sobre a Lei da Mídia Democrática

 

 
Tenho medo das conseqüências. Sempre acho que usam a democracia contra a democracia, a liberdade contra a liberdade.

A historia da humanidade é recheada de pessoas “bem intencionadas” que prometem um mundo melhor, em troca de algumas concessões. “Dei-me seu dinheiro e resolverei todos os seus problemas”, ou então “Dei-me todo poder que troca prometo dar-te a felicidade”. Isso já foi utilizado muitas vezes ao longo da história, não é criação de nossos políticos. Talvez tenham aperfeiçoado.

A humanidade está procurando um salvador da pátria e sempre achando um bode expiatório em quem por a culpa. Esquece que pode estar vivendo dentro de um sistema manipulado que está rapidamente se transformando em uma verdadeira “Matrix”. Nos oferecem a possibilidade de escolhermos a “pílula azul ou vermelha”, mas já estamos dentro da Matrix quando manipulam nossas emoções destilando o pânico, o medo, a falta de segurança, e a criação de uma atmosfera propícias as mudanças. Nos tratam como Gado (muuuuuuuuuuu).

Gostaria de continuar a achar que estou me libertando. Mas me libertando do que, me pergunto. Um dia, quem sabe, poderei usar o que diz um trecho de Cântico Negro do poeta José Régio

“(...) Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!”

Resumindo "...a humanidade manipulada se deixa manipular porque dá menos "trabalho" receber a promessa de felicidade em troca do dinheiro e, se não recebe, é só colocar a culpa em quem não deu, dizer "fui enganado por fulano", do que ir e fazer, lutar pela felicidade."

No fim das contas o importante é se eximir de responsabilidades. Continuar achando tudo ruim mas continuar na casa da mamãe. Nada melhor do a cômoda situação de ter alguém tomando nossas decisões. Isso se aplica bem a sociedades emocionalmente imaturas.
 
-
 
 


 

Nenhum comentário: